terça-feira, 14 de agosto de 2012

Mas volta logo!

Se você quer ir, vai. Mas não vai agora. Espera o amanhã chegar. Fica mais um pouco. Finge que você não quer mais ir. Vamos fingir que o amanhã não existe. Vamos viver o hoje, o aqui, o agora. Quando chegar amanhã... ai você vai. Mas vai baixinho. Não faz barulho. Não me diz que tá indo. Eu não quero saber quando você foi. Quero acordar e descobrir que aconteceu. Não quero ver. Não quero ouvir. Não quero sentir.

Sempre que você vai, dói tanto. Parece que não sobrou mais nada. Mas quando você volta... meu corpo se enche de ar, de luz, de amor. Quando você volta eu me sinto mais. Eu sinto que sou mais que eu. Sou mais que sou sem você. Nem sempre mais é melhor, mas com você é. Quando você chega baixinho, sem fazer barulho e se enfia na cama... eu sinto os seus pés enroscarem nos meus e eu sei que você chegou. Eu sei que a angústia acabou. Sei que somos quatro pés, quatro mãos, dois corações e um amor.

Por isso, vai sem fazer muito alarde. Não avisa ninguém que você está indo. Deixa todo mundo pensar que você vai voltar. Deixa que eu pense assim. Eu vou me ver sozinha, mas vou fechar os olhos e vou pensar em você aqui. Vou sentir toda aquela matemática do mais e vou ficar feliz.

Não me peça para me acostumar com o menos. Com o eu sozinho. Com a cama inteira só pra mim. Não me peça para parar de pensar em você aqui. Não mencione a possibilidade de não voltar. Eu sinto. Eu sinto seu coração me dizer "até logo", quando sua boca me diz "adeus".

Então, vai sem escândalo. Finge que está indo para sempre. Amanhã eu ligo para minha mãe, digo que você foi. Troco a fechadura da porta da frente. Digo para todos que ligarem, que você não mora mais aqui. Durmo sozinha. Sofro comigo. Aí você volta. A gente finge que acreditou que tinha acabado e começa tudo de novo. Descobriremos como a cama fica maior com mais gente. Ela fica cheia... cheia de amor. Chega aqui, me abraça, me beija, me põe para dormir... 

Vai suave, mas volta logo.

7 comentários:

Camilla disse...

Isso aí, gata. Mantendo o blog com estilo.

Nathália BG. disse...

'Vai suave, mas volta logo.'


Adorei :)

Paula disse...

"Meu amor, cuidado na estrada
E quando você voltar
Tranque o portão
Feche as janelas
Apague a luz
E saiba que te amo..."

Suas postagens sempre me lembram de alguma música, rs! Tudo lindo! =)

Benja disse...

Que linda...a professional poet
Mas prefiro a carta de amor de Alex (você) em seu notebook sobre saudades

Gui Toledo disse...

Lindo! me arrepeiei todo :)

Marina disse...

Que estiiiilo!! Que talento! Adorei! Quem nunca se sentiu assim? Cada conto tem todas as palavras do que sentimos nas profundezas do nosso ser e não conseguimos nem levar ao entendimento!

Diogo disse...

Gostei de ver hein!? Entrei aqui de novo e tem vários posts novos :)
Outro post muito bom de novo !
As vezes nao queremos dizer adeus mesmo :(

Contador de Visitas