sábado, 13 de outubro de 2012

Uma forma de amar

Eu saí correndo. Não me preocupei em recolher os objetos e nem em dar satisfações. Eu corri para bem longe. Não sabia para onde ia, só sabia que precisava fugir. Não olhei para trás nenhuma vez, eu juro. Não podia voltar, nem se eu quisesse.

Disseram-me que eu fiz um estrago. Chegaram a me falar que você estava sangrando e que não sabiam se iria se recuperar. Eu não quis conferir. Voltar e ver todas as feridas que causei, acabaria comigo. Você acreditaria se eu dissesse que fiz isso por amor?

Há pouco tempo atrás recebi notícias suas. Ouvi falar que você estava bem. Parece que você sumiu com todos os objetos e inventou motivos para entender o que eu fiz. Algumas pessoas ajudaram a limpar toda a bagunça que deixei e você se recompôs. 

Por que é que depois de tanto tempo eu ainda me importo? Eu fugi para bem longe achando que deixaria tudo para trás. Deveria ter escutado minha mãe que dizia "não adianta fugir, seus problemas sempre vão com você". Será que fui covarde?

Já pensei diversas vezes em aparecer na porta da sua casa para te pedir desculpas. Será que você me perdoaria? Eu tenho receio de que você bata a porta na minha cara... eu bateria. Acho que o verdadeiro perdão que eu preciso vem de mim mesmo.

Eu tinha que partir, tente entender. Quanto mais o tempo passava, mais eu percebia o buraco sem fundo que nós estávamos nos metendo. Tentei sair antes que não fosse mais possível. Eu senti dor. Não ache, por favor, que só você sangrou. A tristeza dominou cada pedaço do meu corpo.

Olha pra hoje. Não foi melhor assim? Há vezes em que desistir é a melhor maneira de tentar outra vez. E sim, pode acreditar, tudo que fiz foi por amor. Amor próprio. Amor perdido e, há tempo, recuperado.

6 comentários:

Carraro disse...

É tão complicado em meio a tantos amores aleatórios,conhecer ou reencontrar o amor próprio... =/

Paula disse...

Vai lá se reconhecer no texto... rs. Muito bom! Desistir, às vezes, é a melhor solução mesmo... E a cada fim, vem um novo início ;D

Vivian Fróes disse...

Nossa, lindo! Muito conciso e profundo, também me identifiquei bastante *_________*

Marina disse...

Hahahah essa me lembrou um episódio ocorrido há mais ou menos um ano atrás.
"I had to leave my reasons.
It may have seemed to much, the consequence.
'all that I know is how I can hold on but all that you see is how I let you go."

Camilla disse...

Arrepiei.

Rafaela disse...

Lele
que lindo xuxu... as vezes parece que voce escreve para mim, serio :)

Contador de Visitas