segunda-feira, 29 de outubro de 2012

(des)(re)encontrar(-se)

Se nossas vidas são caminhos, pré-determinados ou não, hei de dizer que existem cruzamentos, esquinas, vias retas e opostas: encontros, reencontros e desencontros.

Vias paralelas podem se cruzar e permitir que algo surja. Não precisamos estar prestando atenção, nem ficar ansiosos, para que o encontro possa ocorrer; deparar-se. O mais belo do encontro é a surpresa de achar aquilo que não se procura.

Olhar nos olhos e encontrar. Através da janela d'alma do outro, perceber-se. Descobrir traços em comum; traços diferentes e complementares; ideias nunca pensadas. Reconhecê-lo e reconhecer-se. 

Vem tempo, vai tempo. Tudo passa, nada muda. Até que, em algum caminho, reencontra-se; encontra-se novamente; torna-se a encontrar. E aquele que parecia não mais existir, aparece como da primeira vez. Há de se perceber a importância do reencontro. Parar de esperar por novos encontros e procurar aquilo que está/já esteve presente.

Fechar os olhos e reencontrar-se. Através do autoconhecimento, resgatar tudo aquilo que parecia esquecido, apesar de parecer importante. Perceber, nas relações, que as semelhanças existem e as diferenças são capazes de construir. Ir de encontro a; procurar por.

Desencontrar. Através da percepção da impossibilidade de desenvolver um (re)encontro, procurar direções opostas. Por ter encontrado-se, impedir o encontro com. 

Olhar em volta e desviar. Seguir caminhos diferentes. Atravessar o cruzamento; não parar na esquina. Desencontrar para poder encontrar. Fugir do encontro marcado, do provável, do caminho acostumado e buscar o inesperado, o súbito, o oculto. Seguir a via de olhos fechados e surpreender-se com o novo.

5 comentários:

Marina disse...

Ah, a delícia de viver espontaneamente, esperando por nada enquanto na verdade se espera por tudo. Um caminho livre pra milhares de oportunidades, cruzamentos do acaso que acabam se tornando os do próprio destino.
Manteremos nossos sonhos vivos, nossas almas livres.
Muito obrigada pela boa reflexão e energia de sempre. Tenho que te mostrar um livreto budista aqui comigo depois.

Paula disse...

É... esse texto me fez lembrar não de uma música, mas de um livro: "O encontro marcado". Perder, encontrar, reencontrar, recomeçar... verbos necessários na vida! E a ela fica bem mais bonita com todos eles.

Camilla disse...

Espero que você se reencontre sempre. <3

Nathália BG. disse...

"O mais belo do encontro é a surpresa de achar aquilo que não se procura"

Talvez no fundo a gente saiba o que procuramos, mas com o passar dos dias e dos 'desencontros' a gente acaba esquecendo..

Curti bastante o texto ;)

Marianne disse...

Já passei por isso um tempinho atrás. Já quis um reencontro com alguém, que no fundo só queria diversão. Már o tempo muda, e novas pessoas aparecem e a gente uma hora acaba esbarrando com alguém sem querer querendo. Espero essa hora <3.
Adorei o texto!

Contador de Visitas