quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Apagão

Acabou a luz. Tudo escuro, tudo em silêncio. Era tarde, o mundo estava quieto. Como se não bastasse a quietude, ele ficou escuro. Naquele quarto estava ela acompanhada somente de sua insônia. Há dias que não conseguia dormir e não sabia bem o porquê. Parecia ansiedade, mas sem motivo aparente. Enquanto lia e ouvia suas músicas, a luz apagou-se.

A raiva tomou conta de seu corpo. O que fazer quando não se tem sono, nem luz, nem som? Então, parou. Parou e ouviu. Começou a escutar o som do caminhão de lixo que passava na rua. Ouvia pessoas que passavam de longe e falavam algo incompreensível tamanha distância. Apreciou os sons.

Então, parou. Parou e sentiu. Sentiu o ritmo do seu coração. Percebeu a sua respiração. Sentiu cada parte de seu corpo. Podia sentir um relaxamento que começava na cabeça e ia descendo até os pés. Seu corpo ficava leve cada vez que inspirava o ar e soltava pela boca.

Então, parou. Parou e percebeu. Percebeu que no silêncio, no escuro e com o corpo relaxado, ela podia se perceber. Podia dar conta de seus pensamentos. Ouvir o que dizia seu corpo, e, também sua mente.  Podia sentir a si própria e, assim, compreender-se. 

A luz voltou. Junto com ela, o som voltou a tocar. Olhou ao seu redor e observou todas as cores. Então, parou. Parou e dormiu.

4 comentários:

Camilla disse...

Dormiu e sonhou comigo. <3

Nathália BG. disse...

Adoro os comentários da Camilla hahahahahahaha muito bom o texto :) às vezes a gente percebe tudo menos nós mesmos.

Paula disse...

"Quando tá escuro, tanto faz que cor tem
Quando tá escuro, só valem as palavras
Quando tá escuro, ninguém repara minhas meias
É onde eu abro as minhas asas, onde eu me sinto em casa
Passo o dia inteiro esperando a noite chegar
Porque não há mais nada que eu queira fazer..."

Mais uma pra trilha! ;)

Marina disse...

Quebrar a moralidade do corpo e alcançar a alma é atingir a consciência e o paraíso que sempre estiveram dentro de você. hahah

Contador de Visitas